«

»

Ago 09

Fibras Musculares – Treine-as corretamente para Seus objetivos!

Acesso imediato ao Curso Gratuito!

Digite seu nome e e-mail:

Odiamos Spam! Sua privacidade será mantida.

Fibras Musculares – Treine-as corretamente para Seus objetivos!

Para treinarmos a musculação e otimizarmos resultados em ganhos de massa muscular, força, melhorar o tônus muscular, entre outros, é necessário que , claro, façamos exercícios de acordo com isso. Ao mesmo tempo, existem muitos conceitos e “segredos” que otimizam e melhoram nossos resultados. Conceitos como carga de treinamento, intervalo de recuperação (entre séries e em dias), velocidade de execução, entre outros tantos do Treinamento Desportivo e das Ciências do Esporte. Junto a eles, as noções do corpo humano e seu funcionamento trazem à tona os resultados e objetivos esperados, e entre estes existem princípios e fundamentos que fazem toda diferença na hora de planejar sua sessão de exercícios e seu planejamento de programas. Hoje, quero lhe explicar um pouco mais sobre Fibras Musculares.

Os nossos músculos (Do peitoral, costas, abdomên, panturrilhas, etc) são constituídos de células e tecidos similares, porém em proporções diferentes. Falando especificamente do ponto que nos interessa, de células musculares, também chamadas fibras musculares, elas existem em diferentes tipos (tipo 1, tipo2, tipo2a, tipo 2b, tipo 2x, etc), em diferentes proporções e em diferentes arranjos dentro do nossos músculos. Esta distribuição permite que quando um músculo é ativado, as Fibras Musculares de suas unidades motoras (assunto para outro artigo) sejam ativadas sem mostrarem todo o seu potencial de produção de força e ainda bem que é assim pois do contrário, os músculos se contrairiam em segmentos. O interessante disto tudo para a musculação é que as fibras musculares possuem características metabólicas diferentes e juntamente com o fato de que não mostram todo o seu potencial ao se contraírem, faz-se necessário que tipos de treinamentos diferentes sejam feitos para fazerem com mais fibras se contraiam e assim você tenha resultados maiores em produção de força! Ta aí um dos “segredos” para se trabalhar. Tendo este conceito em mente você poderá se esforçar mais e modificar seqüencialmente mais seus treinamentos para fazer com que o músculos “entenda” que precisa recrutar mais fibras para contração muscular e você ficar com o Corpo que deseja.

Tipos de Fibras e características básicas que precisamos saber.

As fibras musculares, com seus vários sub-tipos, podem ser classificadas em dois grande grupos, Fibras de Contração Lenta (tipo 1) e Fibras de Contração Rápida (Tipo 2).
As fibras de contração lenta (tipo1) geram menos força para a contração muscular, contraem-se em menor velocidade, relaxam-se em menor velocidade, possuem reservas de triglicerídeos maiores e conteúdo de mioglobina também são maiores ( isto pode ser entendido como “elas respiram melhor”).
As fibras de contração rápida (tipo2) geram mais força sendo melhores adaptadas aos trabalhos de maior intensidade e curta duração, contraem e relaxam-se em uma velocidade maior (estas características permitem que elas tenham uma alta potência), possuem reservas de triglicerídeos menores, têm capacidade aeróbia baixa, possuem altas reservas de ATP e Fósforo-Creatina.

A princípio pode dar a entender que as Fibras do Tipo 2 são “melhores”, mas isto não deve ser entendido assim pois elas possuem características “desfavoráveis” também como por exemplo, serem altamente susceptíveis à fadiga pois geram energia principalmente de fontes anaeróbias. ( Aqui é o caso de se usar creatina). Além disto, quando queremos baixar os níveis de triglicerídeos no sangue, é interessante treinar as fibras do tipo 1, por isso exercícios aeróbios são tão bons para este fim.
O que fazer com estas características.
As fibras do tipo2, para serem contraídas, devem ser estimuladas com cargas (peso) de treino maiores. A contração começa pela fibras de contração lenta (geram contrações mais fracas) e caminha para as de contração rápida ( a exceção pode ser para trabalhos de potências, assunto para outro artigo também). Cargas elevadas com séries de 5 repetições máximas por exemplo, exigem que sejam contraídas as fibras tipo2 pois, são cargas mais pesadas e assim hipertrofiam elas.

Sabendo estas características fica mais fácil para você, juntamente com o auxílio de um profissional da área, montar seus treinos de modo a colocar o corpo para gerar a adaptação que você deseja e aumentar seu ganho de massa muscular.

Agora, o ponto importante que deve ser lembrado aqui é que, tipos de treinamentos diferentes podem gerar resultados diferentes em pessoas diferentes e este pode ser o seu caso.
Pense comigo por um instante. A quantidade fibras de contração lenta ou rápida que possuímos em cada unidade motora dentro dos músculos é determinada pela nossa genética. Imaginemos que uma pessoa possui, por exemplo, mais fibras de contração lenta no seu corpo e deseja Hipertrofiá-lo e melhorar sua estética como todo mundo. Será que treinando séries mais longas não será melhor do que séries curtas com altas cargas? Por exemplo, séries de 15 repetições máximas, as vezes até 20 repetições? O quê que você acha?

Grande Abraço e até a próxima!

  • Busque por promoções de tênis, camisetas e artigos esportivos em nosso site!

Receba as atualizações deste Blog em seu email. Clique aqui.



Mais Musculação, Emagrecimento, Treinamento e Definição

ACESSO IMEDIATO A VÍDEO-AULAS GRATUITAS!

Nós odiamos SPAM. Nós respeitamos sua privacidade.
This site is protected by WP-CopyRightPro