«

»

Jan 17

Ponto chave para seu objetivo de entrar em forma: Insulina! Entenda-a.

Acesso imediato ao Curso Gratuito!

Digite seu nome e e-mail:

Odiamos Spam! Sua privacidade será mantida.

Ponto chave para seu objetivo de entrar em forma: Insulina! Entenda-a.

Entenda insulina e músculosOlá, tudo bom? Hoje quero discutir com você um ponto CHAVE para o seu sucesso de entrar em forma, independente da ordem que seja, perda de gorduras ou ganhos massa muscular. É um assunto que fará TODA diferença nas suas escolhas nutricionais pois, dependendo delas você estará colocando seu corpo para acumular mais gorduras ou queimar mais gorduras (nenhuma novidade até aqui).

O assunto que quero discutir contigo é sobre hormônios, especificamente sobre um chamado Insulina. Um hormônio muito potente e que contrabalanceia muitos outros. Sem entrar a fundo em uma discussão de Bioquímica pesada, tentarei lhe explicar da forma mais simples e clara que consigo o quão é importante o entendimento da Insulina e como manter ela sobre controle ajudará a manter seu corpo em forma e sob controle também.

Começando: Glicemia em jejum.

Para você entender BEM como a insulina funciona preciso que você saiba qual a função dela no nosso corpo. Dentre as várias funções que ela exerce em nosso corpo, o que você precisa guardar é que ela mantêm a nossa Glicemia em equilíbrio. Glicemia é a medida da quantidade de açúcar no sangue. Em jejum, é recomendado aqui no Brasil que este valor esteja entre 69 mg/dl a 99 mg/dl. Caso o valor da Glicemia em jejum seja menor ou maior que este, são necessários cuidados adicionais para manter sua saúde.

Como a Insulina mantêm nossa Glicemia em equilíbrio?

Aqui é que as coisas começarão a ficar mais claras para você.

Quando a gente se alimenta, a glicemia se eleva e aí a Insulina entra em ação para manter o equilíbrio já citado. Acontece que, dependendo da quantidade e da qualidade do tipo de alimento, carboidratos, gorduras ou proteínas, a elevação da glicemia será maior ou menor, o que fará por consequência, uma menor ou maior liberação de Insulina na corrente sanguínea. Quando a glicemia se eleva bastante, a quantidade de insulina também será alta e a insulina abaixa a glicemia “removendo” a quantidade de glicose, açúcar, no sangue. Acontece que ela não “joga fora” esta glicose, ela armazena.

A primeira ação que ela toma é armazenar a glicose, nos músculos e fígado, em uma forma mais complexa chamada Glicogênio. Portanto, reserva de glicose para uso imediato chama-se Glicogênio e o nosso corpo utiliza bastante glicogênio para fazer exercícios físicos. Acontece que a capacidade de reserva de glicogênio no nosso corpo é limitada, então, a insulina armazena o excesso de glicose (açúcar no sangue) na sua segunda forma que, por sinal, é quase “ilimitada”. Adivinha?! GORDURAS.

Quando você passa muito tempo sem comer, o nosso corpo inteligentemente libera um outro hormônio para manter a glicemia em jejum. Ele chama-se glucagon. O glucagon libera açúcar no sangue. Isto é muito importante pois mantêm a nutrição do corpo e a título de curiosidade, o nosso cérebro alimenta-se somente de glicose.

Mais uma vez, lembrando você que nossa reserva de glicogênio é limitada, acontece que, ficando sem se alimentar, a reserva diminui e aí, o corpo liga o “modo de sobrevivência” acionando outro hormônio chamado Cortisol para continuar mantendo a sua Glicemia em equilíbrio e aí, de onde ele retira glicose? Adivinha, dos nossos músculos! Você literalmente começa perder massa muscular, diminuindo seu metabolismo. Só neste tópico nós poderíamos conversar por horas mas focaremos na insulina ok?! Ah, não resisti e decidir falar mais um ponto antes de voltarmos à insulina. Existe tempo para este mecanismo acontecer? Sim! Quanto? Em média 3 horas, por isto é importantíssimo alimentar-se em intervalos regulares de 3 em 3 horas…

Voltemos!

O Ciclo perigoso e vicioso.

A qualidade e quantidade de alimentos que ingerimos irá aumentar pouco ou muito a nossa glicemia consequentemente acontecendo picos de insulina e armazenamento de gorduras. Agora, adivinha quais tipo de alimentos causam picos insulínicos? Principalmente carboidratos refinados e/ou simples, facilmente encontrados em alimentos como bolos, chocolates, refrigerantes etc etc… Mesmo que você consuma menos do que gasta este fenômeno irá acontecer pois depende da qualidade do alimento ingerido. Carboidratos complexos e fibrosos, não provocam Picos de insulina e deste forma menos gordura é armazenada. Por vezes é fácil encontrar alguém que sinceramente se alimenta pouco porém, como seus alimentos não contêm fibras e são carboidratos refinados, aumentam sua gordura corporal. A insulina é um “Trigger” para uma complexa interação hormonal que no fim das contas, se não cuidada devidamente, armazena mais gordura e bloqueia a ação de outros hormônios em gerarem a sensação de saciedade.

Desta forma, o corpo sente fome novamente e em pouco tempo e, acontecendo de alimentar-se dos mesmo alimentos, o ciclo de insulina se repete e ganho de peso é o resultado certo. Ganhos que podem ser enormes.

Super importante você saber isto!

Com o ciclo vicioso se repetindo continuamente, além de ganhar peso e mais peso, o corpo também passa a funcionar de forma errada. Isto porque quando há excesso de insulina, por causa de uma alimentação ruim, cheia de açúcares, gorduras, poucas fibras etc etc, não há queima de gorduras. Novamente, devido à uma complexa interação hormonal (que não é o objetivo aqui discutir bioquímica pesada a fundo) a insulina aciona uma enzima chamada Lipase Lipoprotéica, LPL, que facilita o armazenamento de gordura e literalmente bloqueia a utilização de gorduras como combustível. Com a repetição deste ciclo, os receptores de insulina nos músculos (nas membranas propriamente dito) começam a ficar mais “preguiçosos” facilitando ainda mais o acúmulo de gorduras e dificultando a sua queima. Na medida que a “preguiça” deste receptores de membrana aumenta, o seu corpo começa a desenvolver um Resistência à Insulina, fazendo com o que o Pâncreas ( que é o órgão que libera insulina) trabalhe com mais força e mais força para liberar mais insulina, fazendo com que o ganho de peso aumente e o pâncreas se desgaste. Pode acontecer de chegar a um ponto aonde o pâncreas começa a falhar e aí o corpo desenvolve uma doença chamada diabetes.

Bom, esta parte acima ficou um pouco mais “pesada” cientificamente falando mas não encontrei uma forma mais simples, resumida e clara de lhe explicar tudo. Caso seu objetivo é entrar em forma, acredito que agora ficou mais claro como é importante selecionar seus alimentos.

Qual a solução?

Mesmo que você esteja super fora de forma e pode até estar no momento em que o corpo tenha desenvolvido uma pequena resistência à insulina, tudo é possível de se reverter mudando seu estilo de vida. Um estilo de vida que lhe trará mais estética, saúde e disposição. Eu particularmente acho isto super motivante, ficar em forma e mais saudável. E adivinha como? Exercícios e boa alimentação.

Também é importante você se nutrir com informação de qualidade para cada vez mais todo o processo de boa forma ficar mais claro e fácil para você. Alguns artigos que recomendo você ler agora são “Gorduras: Substâncias que são mal compreendidas – Parte 1″, Gorduras: Substâncias que são mal compreendidas- Parte 2, neles falo um pouco sobre como as gorduras funcionam. Sempre estarei, na medida do possível, colocando artigos super valiosos e importantes aqui no site. Vale a pena também você ler estes aqui: Restringir demais pode atrapalhar sua perda de peso e Porque você precisa saber o que é Gasto Calórico Diário?

Bom, vou fechando hoje por aqui. Espero que tenha conseguido ajudar você a entender como é importante o papel da insulina no corpo na busca por perda de peso e boa forma.;)

Um grande abraço e bons treinos!

  • Busque por promoções de tênis, camisetas e artigos esportivos em nosso site!

Receba as atualizações deste Blog em seu email. Clique aqui.



Mais Musculação, Emagrecimento, Treinamento e Definição

This site is protected by WP-CopyRightPro