«

»

Out 25

Fazer musculação é anti-inflamatório.

Acesso imediato ao Curso Gratuito!

Digite seu nome e e-mail:

Odiamos Spam! Sua privacidade será mantida.

Fazer musculação é anti-inflamatório.

musculação e sistema imumológicoOlá, tudo bom? Hoje quero lhe contar sobre mais um dos benefícios de um estilo de vida ativo e com exercícios e porque você deve incluir Mais Musculacão em sua vida.

O título pode parecer estranho não?! Afinal, “o que musculação tem a ver com inflamação?” E mais, você pode pensar: “Quem disse que eu estou inflamado(a)?”

A princípio pode parecer que não tem nada a ver mas na realidade tem sim, e tem muito.

Um conceito muito atual é o de que, o seu tecido muscular, quando em atividade, funciona como órgãos endócrinos, e sendo assim, produzem substâncias que atuam em todo o seu organismo produzindo efeitos benéficos importantes para a saúde(Santarém, 2012).

Fazer musculação não é somente uma questão de estética. Ela melhora a sua saúde e aumenta a sua expectativa de vida! E não precisa ser um super atleta para isto…

Isto porque, fazer exercícios e treinar corretamente produz substâncias anti-inflamatórias que reduzem justamente as substâncias inflamatórias produzidas em decorrência de um estilo de vida sedentário e com alimentação desequilibrada.

A gordura do seu corpo também é um órgão endócrino só que, diferentemente do músculos que precisam estar em atividade, ela produz hormônios e substâncias inflamatórias o tempo todo.

Aquela gordurinha envolta do abdômen pode não ser tão inofensiva assim…

Sinais e substâncias inflamatórias

Bom, que quase todo mundo já está bem ciente de que fazer exercícios é importante para a saúde, eu não tenho dúvida. Afinal, o trabalho de divulgação da mídia em geral já alertou bem à população. No entanto, o que eu acho ainda mais motivador para qualquer pessoa, começar e continuar a prática de exercícios, é saber o que eles podem proporcionar, e de uma maneira menos geral e mais específica, a coisa fica ainda mais interessante.

O seu corpo é regulado pelas ações dos hormônios e enzimas. Quer você queira ou não, eles ditam as regras e na ausência de um ou no excesso de outro, as coisas se desorganizam. Veja por exemplo, a falta de insulina no corpo que leva ao diabetes e consequentemente à uma vida ainda mais regrada, ou por exemplo o Hipotiroidismo, no qual, sem o tratamento adequado, a pessoa tem facilidade para ganhar peso, desânimo, depressão, letargia… Portanto, o equilíbrio é fundamental para um organismo funcionar perfeitamente.

A gordura visceral é um tecido endócrino. Isto significa que ela produz sinais e citocinas que atuam como hormônios realizando a comunicação entre as células, ou seja, aquela gordurinha a mais em volta do abdômen não é somente uma questão estética. Ela está agora mesmo atuando e fazendo comunicação com o seu corpo.

Entre os sinais e citocinas, a gordura produz um hormônio chamado Leptina que além de comunicar ao cérebro que “já é hora de parar de comer”, ela também age como um sinal inflamatório. (No mini curso “Por que o corpo acumula gorduras? Os 3 pontos-chave” eu explico melhor porque a Leptina não funciona direito em quem tem excesso de gordura). Além de Leptina, a gordura visceral também produz a Resistina e o Fator de Necrose Tumoral (TNF-alpha), todos eles atuando como agentes inflamatórios no seu corpo.

Ainda a gordura.

Toda gordura corporal tem a capacidade de produzir um outro tipo de citocina, que é benéfica para o corpo, chamada adiponectina. Esta molécula age de forma protetora reduzindo o risco de doenças cardíacas, diabetes e hipertensão. Até aí tudo bem, então ter gordura também faz bem. E realmente faz.

O problema todo começa quando o percentual de gorduras começa a aumentar, produzindo aquela barriguinha em volta do abdômen que à medida que ela cresce, cresce também a gordura visceral e, à medida que esta gordura visceral aumenta, a produção de adiponectina protetora cai, por motivos ainda não tão bem explicados. Ou seja, la vem bomba para a sua saúde! Não é somente por estética! Por isto que aquela medida da circunferência da cintura que o seu Personal Trainer ou Professor da academia faz, tem servido como um poderoso instrumento de prognósticos de pertubações da saúde, inclusive de mortalidade.

Esta gordura em volta do abdômen está causando inflamação subclínica o tempo todo e, quanto mais gordura, mais inflamação!

A combinação destes fatores, menores níveis de adiponectina junto com o aumento da produção de Leptina, do Fator de Necrose Tumoral (TNF-alpha) e de outros produtos inflamatórios, está por detrás de respostas insulínicas anormais, de problemas como o diabetes, a hipertensão e doenças cardíacas, e acreditem, está associada também à demência senil, a artrite reumatoide e ao câncer de cólon. (Veja todas as referências no final do artigo).

Ainda poderia ficar aqui contigo lhe explicando por mais um bom tempo como esta inflamação acaba te levando no fins das contas a acumular ainda mais gorduras devido à ação do cortisol, o que é tema para outro artigo, senão nos delongamos demais…

Mediante isto tudo acho que já vale a pena pensar em treinar com mais regularidade a musculação ou começar a fazer uns abdominais em casa. Mas, como o exercício pode ajudar a combater a inflamação subclínica?

Aí vem a musculação…

Musculação anti-inflamatórioAh, esqueci de mencionar que o sedentarismo também contribui para aumentar a produção de substâncias inflamatórias, notadamente a TNF-alpha, que está envolvida também na origem da aterosclerose. Mas sigamos, e a musculação?

A musculação é o esporte, em minha opinião que, propicia a maior quantidade de contrações musculares esqueléticas vigorosas com a maior segurança para a sua prática e, a contração muscular produz substâncias denominadas miocinas. As miocinas fazem parte do grupo das interleucinas, substância conhecidas por suas ações no sistema imunológico.

As miocinas agem de forma contrária às citocinas inflamatórias, produzindo assim um efeito anti-inflamatório. Por causa da produção aumentada de miocinas, a contração muscular oferece proteção contra doenças cardiovasculares, diabetes do tipo 2, para a obesidade, hipertensão, várias doenças autoimunes e alguns tipos de cancer, como o do intestino e mamas. Ou seja, ao se treinar musculação, você está conferindo proteção para a sua saúde atuando de forma a estimular o sistema imunológico do seu corpo e assim lhe conferir uma saúde geral melhor. Some a isto os benefícios dos aeróbios como aumento da capacidade cardiopulmonar e resistência aeróbia, e você terá um corpo além de saudável, mais bonito!

Não sei quanto à você mas estes fatos para mim já são estímulos suficientes para programar meus treinos na semana mesmo com os contra-tempos da vida. Sejam 2, 3 ou 4 vezes (como eu prefiro) na semana, faço o meu melhor para não faltar aos treinos.

E como é possível avaliar as inflamações?

Antes de mais nada, em qualquer situação, esteja você apto a treinar, incentivo que comece ou retorne o quanto antes. No entanto, é possível avaliar seu estado inflamatório através de um exame que identifica os níveis de Proteína C Reativa (PCR) no sangue. Através deste exame o seu médico pode lhe falar se existem inflamações no seu corpo. O mais legal é ver estudos como os dos pesquisadores Donges CE, Dduffield R, Drinkwater EJ, no artigo “Effects of resistance or aerobic exercise training on interleukin-6, c-reactive protein, and body composition. Med Sci Sports Exerc. 2010;42(2):304-13″que atestam como a musculação é importante para a saúde. Neste estudo, os cientistas compararam os efeitos dos exercícios resistidos (treinamento com pesos) com os exercícios aeróbios e demonstraram que os resistidos são mais eficientes em produzir miocinas, controlando melhor o estado inflamatório basal avaliado pela PCR.

Naturalmente, se além disto você associar uma alimentação balanceada, mais saudável e natural, não só a sua estética como também a sua saúde geral e cardiovascular irão aumentar!

Fechando.


Ufa! Vou fechando por hoje pois este assunto é tema para discussão que não acaba mais. No entanto, se você gostou do artigo, dê um “joinha” aí ou deixe um comentário para eu saber se você achou interessante e escrever mais curiosidades e assuntos como este.

Gosto da musculação pelo resultados que ela produz no corpo, ao mesmo tempo, também adoro este tipo de discussão que mostra os benefícios dos exercícios além da estética corporal.

Desejo-lhe boa sorte e bons treinos! :)

Treine forte e alcance sucesso!

Um grande abraço,

Alexandre Magno

Referências:
  • Donges CE, Dduffield R, Drinkwater EJ. Effects of resistance or aerobic exercise training on interleukin-6, c-reactive protein, and body composition. Med Sci Sports Exerc. 2010;42(2):304-13
  • Kloting, N.; Fasshauer, M.; Dietrich, A. et al. “Insulin Sensitive Obesity”. American Journal of Physiology: Endocrinology and Metabolism, 22 jun. 2010.
  • DeMarco, V.G.; Johnson, M. S.; Whaley-Connel, A. T.; Sowers, J.R. “Cytokine Abnormalities in the Etiology of the Cardiometabolic Syndrome”. Current Hypertension Reports, abr. 2010; 12(2):93-8.
  • Matsuzawa, Y. “Establishment of a Concept of Visceral Fat Syndrome and Discovery of Adiponectin”. Proceedings of the Japan Academy. Series B, Physical and Biological Sciences, 2010; 86(2):131-41.
  • Funahashi, T.; Matsuzawa, Y. “Hypoadiponectinemia: a Common Basis for Diseases Associated with Overnutrition”. Current Atherosclerosis Reports, set. 2006; 8(5):433-8.
  • Musculação em todas as idades. José Maria Santarem. Editora Manole. 2012.
  • Busque por promoções de tênis, camisetas e artigos esportivos em nosso site!

Receba as atualizações deste Blog em seu email. Clique aqui.



Mais Musculação, Emagrecimento, Treinamento e Definição

This site is protected by WP-CopyRightPro